sexta-feira, 3 de março de 2017

Pessoa favorita (Por Srta Sullivan)

Existem pessoas que conhecemos ao longo da vida que se tornam únicas de uma maneira muito pessoal e especial. São elas que suportam o nosso verdadeiro eu sem sair correndo de medo ou desespero. Nem sempre entendemos como ou porque isso acontece, mas acontece. E, com o tempo, conseguimos entender que elas chegaram pra ficar e nos sentimos extasiados.
Existem pessoas para quem fomos feitos. E existem pessoas que foram feitas pra nós. O mais legal nisso tudo é quando o encaixe acontece. Por isso existe amigo favorito, irmão favorito, pai ou mãe favorito, filho favorito (mesmo que os pais nunca admitam), amor favorito... Enfim... Todo mundo tem uma pessoa favorita no universo. Se não tem, deveria ter, porque faz um bem danado!
Sendo assim... Seja a pessoa favorita de alguém! Seja digna de ser única na vida de um ser querido! Honre essa pessoa com o melhor que puder e saiba reter em sua vida o melhor da pessoa favorita que te cerca.

domingo, 10 de abril de 2016

Amizade 3 em 1


No último ano conheci uma menininha linda por quem me apaixonei. Não digo paixão no sentido romântico da palavra, mas no sentido de uma predileção acentuada. Em pouco tempo ganhei dela a grata alegria em saber que tamanho sentimento era recíproco! Mas grata ainda fiquei quando dei por mim quão rara e bela é esse tipo de amizade que passamos a desenvolver. Eu, que sempre gostei de fazer novos amigos, me vi pela primeira vez vivenciando um tipo diferente de amizade. Não era apenas uma amizade fraternal, como se tem por um amigo que se torna um irmão. Era mais terna que isso, mais afetiva. Era maternal também, como o amor de uma mãe por uma filha. Uma mãe muito carinhosa, cuidadosa, que orienta e protege. Uma mãe que se torna amiga e irmã. Uma amizade 3 em 1. Dizendo assim talvez seja meio complicado de entender. Mas assim cresceu essa amizade. Tornei-me mãe, irmã e amiga de uma só pessoa.
Desenvolver uma amizade desse tipo é uma responsabilidade um tanto pesada, mas ao mesmo tempo muito prazerosa. Faz com que nos esforcemos mais, nos doemos mais. Faz com que nos importemos verdadeiramente com o outro, na maioria das vezes, mais do que com nós mesmos.
A humildade é intensamente trabalhada. E a paciência é testada até a última gota! Para quem tem problema de orgulho, ele acaba perdendo a vez sem você perceber. E isso é ótimo! Porém, o mais legal, é que numa amizade assim nós crescemos. Mais do que isso, nós entendemos o verdadeiro sentido do que é ser amigo de alguém.... É se doar por inteiro!

domingo, 17 de janeiro de 2016

Essência (Por Srta Sullivan)


Intensa! Uma pessoa dominada pelos próprios sentimentos. Porém, surpreendentemente racional. No rosto trazia um olhar de menina, doce e agradável. No peito, a esperança de alcançar uma vida plena e feliz. E no coração, algumas marcas que a ensinaram a ver a vida com outros olhos.
Tinha sonhos e queria realizá-los. Quando percebeu que tudo que desejava era possível, foi em busca de seus objetivos, mas sem tirar os pés do chão. E nem os obstáculos no caminho eram motivos para ela desistir. Muito pelo contrário, a impulsionaram para ir além.
Embora fosse uma moça de pouca idade, carregava dentro de si uma maturidade que aprendeu na marra, com a vida, Seu coração grande e amável havia abrigado pessoas que não eram dignas dele e isso lhe causou algumas decepções. Mas mesmo tendo sua confiança traída, ela sequer deixou de confiar no ser humano. Seu coração estava sempre aberto para abrigar novos hóspedes.
Qualquer ser humano normal, no mínimo, se fecharia como uma ostra e se pouparia do risco de viver novas decepções. Mas ela não era normal. Era uma espécie rara, dessas que só se conhece uma vez na vida, e isso se você estiver no lugar certo, na hora certa.
Sua paixão pela vida lhe permitia correr o risco de se relacionar com quase desconhecidos. E foi essa entrega arriscada que lhe trouxe pessoas queridas e confiáveis. Pessoas que ela já não sabia mais viver sem. Justo ela que tão cedo aprendeu o que era traição, também tão cedo aprendeu o que era ter sua confiança verdadeiramente honrada.
Talvez se tivesse se fechado jamais descobriria o que é ter amigos de verdade. Talvez se tivesse se fechado jamais conheceria o verdadeiro significado da palavra fé. Talvez se tivesse se fechado jamais recuperaria sua essência* tão linda e que conquista a todos à sua volta.

Nota: dedico este texto a uma querida amiga que me serviu de inspiração para tal.

*essência: aquilo que é o mais básico, o mais central, a mais importante característica de um ser ou de algo.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Um Encéfalo Em Comum


Há pouco tempo conheci uma pessoa que já faz parte da minha vida como se fôssemos amigas de infância. É curiosa essa sensação de se sentir velha amiga de alguém que você mal conhece. Ao mesmo tempo é uma sensação atraente. Mais curioso ainda é descobrir a quantidade de coisas em comum que se pode ter com uma quase desconhecida. Faz você pensar: quantas pessoas por aí são tão parecidas comigo? E não digo parecidas no sentido superficial da coisa. Mas parecidas num sentido mais profundo. Princípios, valores, crenças, qualidades, defeitos... E gosto musical também, porque sinceramente, não creio que seja algo que se possa chamar de superficial.
Neste mundo onde quase sempre ouvimos dizer que os opostos se atraem, passam quase que imperceptíveis os nossos iguais. E ao contrário do que talvez pareça, não é nada chato e monótono conviver com pessoas parecidas conosco. Pelo contrário, é divertidíssimo! Quem tem uma maneira de olhar parecida com a nossa costuma mais facilmente nos compreender. Você não se sente obrigado a explicar tudo o tempo todo, porque na maior parte do tempo as coisas são claramente entendidas. É tão mais simples. E às vezes o tão mais simples é muito bom também. Digo isso porque, sem perceber, nos acostumamos a gostar do tão mais complicado.
Cada encéfalo é único e especial à sua maneira. E neste meio tempo, sem sequer esperar, encontrei um que tenho apreciado muito. E espero continuar apreciando. Afinal, um encéfalo que não bate de frente com o meu não é nada fácil de encontrar.

domingo, 27 de setembro de 2015

Ela Nunca Se Deixou Acomodar (Por Srta Sullivan)


Delicada, meiga, madura... Talvez fossem essas as qualidades que a definiriam num primeiro instante. Mas a conhecendo de perto, intimamente, duvido que alguém se limitaria a isso.
Era de longe uma pessoa muito gentil. E de perto também. Verdadeira em cada gesto e palavra. Sincera, sim, mas sem perder a graciosidade. Pessoa agradável, dessas que cuidam e zelam pela família e amigos, sabe? E embora vivesse rodeada de pessoas queridas, sabia cuidar muito bem de si. Tanto que às vezes, reservava tempo para ficar sozinha, incluindo tempo para se conhecer.
Trazia no olhar uma alegria de viver. No peito trazia uma paixão pela vida e também pelos animais. Em especial por uma cadelinha muito fofinha. Queria viajar o mundo inteiro, conhecer tudo, principalmente a si mesma. O autoconhecimento nunca lhe escapara da mente. Era algo que ela sabia que precisava alcançar. Ao contrário do que pudesse parecer, ela nunca se deixou acomodar e foi em busca do seu conhecimento pessoal. Desbravar a si mesma era o seu maior desafio. Mas ela não se deixou intimidar. Correu riscos, enfrentou seus medos, fortaleceu sua fé. E foi justamente a sua fé que a conduziu nos momentos mais tenebrosos. Sua fé a ajudou a seguir seu caminho sem olhar para trás. No entanto, apesar dos desafios e das pedras no caminho, ela continuava destemida, não se entregava. E assim seguiu com a vida. Viajou. Apaixonou-se. Viveu! Porém, a vida que ela sonhava ainda não tinha sido realmente alcançada. Por isso se empenhou para viver a vida que desejava alcançar no futuro. Onde todos além dela poderiam usufruir plenamente a felicidade. Só de pensar em quão perto ela estava dessa vida que sempre almejara, só de imaginar que tudo estava tão perto de acontecer, ela fitou o horizonte, ergueu a cabeça e seguiu feliz.

domingo, 12 de abril de 2015

Coração Sem Armadura (Por Srta Sullivan)


Seu sobrenome era 'força', pois tamanha era a força que possuía dentro de si. Já a coragem lhe faltava às vezes, mas sabia disfarçar. Trazia no peito um sentimento profundo, porém pouco conhecido; o medo. Medo de amar e não ser amada. Medo de ferir os à sua volta. Medo de ser dura ao extremo. Medo de não conseguir perdoar. Medo de não ter um final feliz... Mas quem quer apenas um final feliz? Ela queria mais do que isso. Queria ser feliz por inteira, pela vida inteira!

Sabia que o medo precisava ser vencido, mas que sozinha talvez não conseguisse. Mesmo assim resolveu arriscar. Reuniu forças, criou coragem e foi à luta. Devido às circunstâncias ela começou a se entregar mais, se alargar mais. E gostou do modo como passou a se sentir. Ser mais aberta lhe custava um pouco, mas não ser lhe custava bem mais.

Sabendo os riscos que um coração sem armadura poderia correr, se sentiu insegura e se protegeu como pôde. Mesmo sem saber se tal proteção seria realmente necessária, ainda assim manteve o coração aberto. E para a sua alegria, isso lhe rendeu amizades leais. Pessoas que estariam sempre ao seu lado. No entanto, o amor continuou longe de vista, mas ela aprendeu a esperar por ele. Mesmo levando mais tempo que o necessário, com ou sem amor, ela se tornou mais segura, mais corajosa, e muito mais feliz.

domingo, 2 de novembro de 2014

Os Pássaros Sempre Voam

   
   

   John Steinbeck escreveu: "Parece para mim que se você e eu temos que escolher entre duas maneiras de pensar e agir, nós devemos lembrar que vamos morrer e tentar viver de forma que a nossa morte não traga nenhum prazer para o mundo."

   Quando a gente pensa na vida, esquece que um dia ela termina. Mesmo sendo a morte uma coisa muito presente, a gente vive como se ela não existisse. Até que um dia... Até que um dia ela chega, trazendo dor, angústia e sofrimento. E por mais que a gente tenha que lidar com ela, a gente nunca está preparado.
   Alguém me disse uma vez que, nossos entes queridos são como passarinhos e que a morte é como um voo sem volta. Uma hora os passarinhos voam e...
   Sabendo que um dia nós também voaremos, devemos "tentar viver de uma forma que nossa morte não traga nenhum prazer para o mundo." Isso só acontecerá se vivermos de uma forma significativa. Nossa vida deve ser especial, sem clichê. Nossas ações precisam ser inspiradoras. As pessoas ao nosso redor devem ver algo maravilhoso em nós. Algo que as motive. Só assim nossa morte não trará nenhum prazer ao mundo. Pelo contrário, o deixará de luto profundo.
   A vida é preciosa demais para ser desperdiçada com questões mesquinhas e ações egoístas. Seja um exemplo positivo na vida de alguém. Seja um exemplo positivo na sua própria vida!
   Sendo assim, faça longa e significativa a sua caminhada antes que chegue a sua hora de voar.